14.5.17

PRESBITERIANISMO NORDESTINO – Parte 1 - Pernambuco, Norte e Nordeste


PRESBITERIANISMO NORDESTINO – Parte 1
R.M. MENEZES

Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. 1 Coríntios 3:6

As primeiras sementes do protestantismo cristão no Brasil derivam de franceses e holandeses, os precursores da semente evangélica em nossa terra.

Em 1555 os franceses huguenotes desembarcaram no Rio de Janeiro, período curto, até 1567, após forte oposição portuguesa com recuos e martírios. Havia uma intenção de criar uma colônia francesa na Baia de Guanabara, Rio de Janeiro. E o protestantismo calvinista apesar de não ter sido estabelecido nesta ocasião, missionários como Jean de Bourdel, Matthieu Verneuil, Pierre Bourdon e André la Fon deixaram por escrito a primeira confissão de fé da América e foram mortos por sua fé. Este documento é conhecido como a Confissão de Fé de Guanabara.

Em 1637 temos a presença holandesa com Mauricio de Nassau no Brasil. Os holandeses em Pernambuco implantaram todo um sistema eclesiástico com pastores, presbíteros, diáconos, membros, presbitério e sínodo. Prenunciava algo futuro, que Deus não deixaria de levar seu Evangelho em todos os lugares da terra. A ocupação holandesa no Nordeste do Brasil (1630-1652) sofreu dura oposição do romanismo colonial e os holandeses foram expulsos do Brasil. Mas o protestantismo retornaria com outros missionários.

Podemos resumir essas duas tentativas como duas fases de introdução incompleta do protestantismo no Brasil.

O século XIX é de particular destaque de maior semeadura e irrigação com os trabalhos missionários congregacionais e presbiterianos. Nesse século citado, nos EUA, por razões missionárias os presbiterianos e congregacionais uniram-se e formaram um acordo de intercâmbio de pastores entre as duas denominações. Esta união resultou em associações religiosas como a União Americana de Escolas Dominicais, a Sociedade Bíblica Americana, a Sociedade Americana de Educação e a Sociedade de Missões Estrangeiras.

Em 1836, vale destacar, antes da terceira (ou quarta) fase de evangelização protestante, chegou ao Rio de Janeiro, muito antes de Kalley, o missionário metodista R. Justus Sapaulding – o trabalho metodista oficialmente só vingou 20 anos depois da rápida presença do missionário Sapaulding (seis anos, apenas, tempo esse que se estende de 1836 a 1841). Spaulding, Murdy e Kidder, três missionários metodistas no Brasil fizeram um brilhante trabalho de distribuição de Bíblias. Há poucos relatos desse período metodista, mas se sabe que em 1864 a Igreja Católica proibiu a distribuição de Bíblias em Maceió e em 1865 também houve proibição de Bíblias na cidade de Escada-PE. Em 1867 já havia uma grande polêmica sobre “Bíblias falsas” e publicações católicas romanas combatendo a distribuição de Bíblias. Essa característica protestante de distribuição de Bíblia é um fato que merece destaque.

Em 1855 chega ao Rio de Janeiro o missionário congregacional escocês, Robert Reid Kalley. Missionário que realizou um importante trabalho de plantação de igrejas e em 1879 recebeu apoio da Inglaterra com a chegada do Rev. Fanstone. Este projeto missionário nascido no Rio de Janeiro irradiou-se para Pernambuco com o diácono congregacional Manoel José da Silva Viana. A primeira igreja congregacional de Recife e do Nordeste se chama Pernambucana (1873). Merece um estudo a parte.

Os primeiros missionários presbiterianos ao Brasil são oriundos da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América (PCUSA). Fundaram igrejas, seminários e colégios. Segundo o professor Alderi Souza de Matos, --:
“Os obreiros da PCUS foram os pioneiros presbiterianos no nordeste e norte do Brasil (de Alagoas até a Amazônia). Os principais foram John Rockwell Smith, fundador da igreja do Recife (1878); DeLacey Wardlaw, pioneiro em Fortaleza; e o Dr. George W. Butler, o “médico amado” de Pernambuco. O mais conhecido dentre os primeiros pastores brasileiros do nordeste foi o Rev. Belmiro de Araújo César, patriarca de uma grande família presbiteriana. Enquanto isso, os missionários da Igreja do norte dos Estados Unidos, auxiliados por novos colegas, davam continuidade ao seu trabalho. Seus principais campos eram Bahia e Sergipe, onde atuou, além de Schneider e Blackford, o Rev. John Benjamin Kolb”.

1859 – O ano marcante da chegada do primeiro missionário presbiteriano no Brasil:

Em 1859 a missão presbiteriana envia ao Brasil, S. G. Simonton, que desembarca no Rio de Janeiro. Em 1862 é organizada a primeira igreja presbiteriana do Brasil no Rio.

1873 – O marco do primeiro missionário presbiteriano no Nordeste do Brasil:

Em 1873 desembarca em Pernambuco o Rev. John Rockwell Smith, o qual exerceu um abençoado ministério de 1873 a 1892. O Rev. Smith visitou todas as principais cidades do Nordeste brasileiro. Organizou além da Igreja de Recife (1878), a de João Pessoa-PB em 1884 e a de Maceió em 1887.

Ainda em 1873 chega ao Recife o Rev. John Boyle e neste mesmo ano inaugura uma congregação presbiteriana na mesma cidade. Em 1875 o missionário Boyle vai para Campinas-SP e o Rev. Lecont vem para auxiliar Smith.

A partir de 1874 acontece a primeira expansão missionária presbiteriana de Pernambuco em direção a Maceió-Al e Pilar-Al. Havia nesse tempo muitos perigos de perseguição violenta de católicos romanos, de assaltos e apedrejamento.

Em 1875 o Rev. Smith visita Fortaleza-Ce e São Luiz-MA. Neste mesmo ano fundou um jornal, o primeiro jornal evangélico no Nordeste do Brasil.

Em 1877 houve a grande seca no Nordeste. Entre 1887 e 1879, um obreiro presbiteriano paraibano foi perseguido e martirizado. Sr. Filadelfo de Souza teve sua casa assaltada por um grupo armado, após este fato sua esposa enlouqueceu e morreu.

1878 – Organização da Primeira Igreja Presbiteriana do Recife.

Em 1878 – Ano marcante para o presbiterianismo nordestino. O Rev. Smith organizou a Primeira Igreja Presbiteriana do Recife, ministrada pelo Rev. Blackford.

Havia na fundação da Igreja Presbiteriana de Recife três ministros brasileiros: Rev. João batista Lima, nascido em Porto Calvo-AL, Rev. Belmiro de Araújo Cesar, natural de Goiana-PE e o Rev. José Primênio, natural de Brejo da Madre de Deus-PE.

O Rev. Belmiro de Araújo Cesar, também jornalista, tornou-se professor de Inglês, Grego e Geografia.

Em 1878 fundam-se os trabalhos presbiterianos em Nazaré da Mata-PE e Goiana-PE.

Em 1879 o Rev. Smith era combatido diretamente de Portugal por meio de jornais e livros.

Ainda em 1879 houve um fato lamentável, outro martírio, próximo a cidade de Caruaru-PE, local próximo a São Bento do Uma-PE, a vítima foi o presbiteriano Jose Antônio dos Anjos (ou Antos).

Em 1880 chega reforço missionário ao Recife, o Rev. B. F. Thompson, recém-ordenado em 1879, e após sua chegada em Recife viveu apenas dois meses, acometido de uma febre tropical, possivelmente. Uma grande tristeza abateu o trabalho missionário em campo pernambucano.

Ainda no mesmo ano, em 1880, chega ao Recife o Rev. Lacy Wardlam. Em 1882 realiza missões no Ceará e em Goiana-Pe, nesta cidade é hostilizado por moradores, porém um juiz municipal acalmou a situação. Sempre havia o perigo de morte para os missionários protestantes.

Em 1883 havia cultos em vários locais, como Itamaracá-PE, Pão de Açúcar-AL, Penedo-AL, mas todos locais com grande hostilidade católica romana. 1887 é fundada a Igreja em Maceió-AL e também em Pão de Açúcar-AL.

1888 é um ano marcante, ano de fundação oficial do presbitério de Pernambuco, separando-se dos Concílios Americanos, Sul, Norte e Sínodo de Baltimore.
A partir de 1888 passam a constituir quatro presbitérios:
1.            Rio de Janeiro.
2.            Pernambuco.
3.            São Paulo.
4.            Oeste de Minas Gerais.

1889 o Presbitério de Pernambuco ordena dois ministros, o Rev. W. C. Poter, americano, e Rev. Juventino Marinho, pernambucano de Goiana. Ambos treinados pelo Rev. Smith.

1894 o Rev. Butler chega a Garanhuns-PE e dá apoio em Canhotinho-PE. Em 1895 quinze pessoas são convertidas em Garanhuns. E é realizada a primeira Santa Ceia nesta cidade.

Em 1888 só havia três presbitérios: Pernambuco, Rio de Janeiro e Campinas/Oeste de Minas Gerais. Este último presbitério posteriormente dividiu-se e organizou-se em presbitério de São Paulo e presbitério Oeste de Minas Gerais.

O presbitério de [Norte] Pernambuco abrangia uma grande área interestadual compreendia Recife, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pará, Fortaleza até o Amazonas. E o presbitério Sul de Pernambuco cingia o Agreste de Pernambuco, e Alagoas até Paulo Afonso na Bahia.

Igrejas organizadas por missionários presbiterianos antes de 1888, antes da formação oficial dos presbitérios:
1.            Paraíba.
2.            Mossoró-RN.
3.            Fortaleza-CE
4.            Garanhuns-PE
5.            Pernambucana – 1879
6.            Recife – 1878
7.            Goiana-PE – 1886
8.            Laranjeiras-SE – 1884
9.            Nazaré-PE – 1887
10.          Paulo Afonso-BA – 1886
11.          Maceió – 1887
12.          Pão de Açúcar-AL – 1888

Igrejas organizadas depois da formação do presbitério de Pernambuco antes de 1927:
1.            Palmares – 1903
2.            Catende – 1926
3.            Garanhuns – 1900
4.            Águas Belas – 1922
5.            Macéio – 1908 (reorganizada)
6.            Canhotinho – 1902
7.            Gameleira – 1914
8.           Caruaru – 1927

A sede organizacional do presbitério sul de Pernambuco situava-se nos Estados Unidos, o Sínodo de Baltimore, posto missionário de um importante e desconhecido homem, Rev. John Leigton Wilson, missionário americano que serviu por 14 anos na África e foi secretário da Junta de Missões Presbiterianas Americana. Foi este homem que enviou para o Brasil três missionários: Simonton, Blackford e Scheineider. Cujo trabalho missionário formou a Igreja Presbiteriana do Brasil.

**
Referência:
Presbitério Sul de Pernambuco, História do Presbiterianismo no Nordeste Brasileiro, Rev. Elias Sabino de Oliveira.
O Presbiterianismo no Nordeste do Brasil (II), Claúdio Henrique Albuquerque, Vox Reformata, Publicação do SPN. 2012, nº 2, Vol. I.